ETHOS ECONOMIA

Presidente da China defende globalização em Davos


19/01/2017

Compartilhar

Em primeira participação no Fórum Econômico Mundial líder chinês fez críticas veladas ao presidente dos EUA

xi

A abertura do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, ficou marcada pelo discurso do presidente da China, Xi  Jinping. Com observações sobre a disparidade econômica, citações de metáforas e provérbios, Xi defendeu a globalização e o livre comércio.

“(…) vivemos em um mundo de contradições. Por um lado, com a crescente riqueza material e os avanços na ciência e tecnologia, a civilização humana se desenvolveu como nunca antes. Por outro lado, os conflitos regionais frequentes, os desafios globais como o terrorismo e os refugiados, bem como a pobreza, o desemprego e a crescente disparidade de rendimentos contribuíram para as incertezas do mundo”, disse o líder do país onde a economia é considerada uma das que mais têm crescido no mundo.”

Para Xi, a culpa por hoje o mundo viver um profundo abismo social, como destacamos na matéria Relatório da Oxfam destaca desigualdade social no mundo, não é da globalização. “(…) muitos dos problemas que preocupam o mundo não são causados pela globalização econômica (…) Foram a guerra, o conflito e a turbulência regional que criaram este problema (referindo-se à crescente desigualdade social), e a sua solução reside em fazer a paz, promover a reconciliação e restaurar a estabilidade. A crise financeira internacional é outro exemplo. Não é um resultado inevitável da globalização econômica. Em vez disso, é a consequência da perseguição excessiva de lucros pelo capital financeiro e a grave falha da regulamentação financeira”, disse Xi em seu discurso, na abertura do Fórum, e ainda completou: “Apenas culpar a globalização econômica pelos problemas do mundo é inconsistente com a realidade e não ajudará a resolver os problemas”.

O dirigente chinês fez uso de palavras usadas por Abraham Lincoln no discurso de Gettysburg, para defender o direito de todos ao desenvolvimento. “O desenvolvimento é do povo, pelo povo e para o povo”, afirmou e seguiu utilizando-se de metáforas: “Sabemos demasiadamente bem que não há almoços grátis no mundo e que as tartes não caem do céu”.

O discurso de Xi foi ainda marcado por críticas ao presidente eleito nos EUA, Donald Trump, a quem cobrou implicitamente os acordos assumidos na agenda de clima ao apelar aos signatários do acordo de Paris para honrarem os compromissos assumidos.

“O Fórum de Davos está se encerrando e permanece a dúvida: os líderes mundiais estão realmente dispostos a rever as estratégias que até agora promoveram uma globalização que concentra renda e capital e não globaliza direitos sociais e econômicos? A posição da China de apoio incondicional à globalização e ao livre mercado em oposição ao protecionismo britânico do Brexit e as promessas de Trump são sintomas de uma grave crise, pois nenhuma das posições enfrentam as crescentes desigualdades entre ricos e pobres”, avalia Caio Magri, diretor-presidente do Instituto Ethos.

Por Rejane Romano, do Instituto Ethos

Foto: Reuters.

ESTUDO DO SISTEMA DE INTEGRIDADE NACIONAL, JÁ DISPONÍVEL Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 maiores empresas do Brasil e suas ações afirmativas

CONTATO

© 2016 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.