ETHOS INTEGRIDADE

Presidente do Ethos fala sobre terceirização em seminário da Folha


13/04/2017

Compartilhar

Beneficiário final e investimento em compliance também foram temas do debate

Durante a participação no Fórum Conformidade nos Negócios, realizado pelo jornal Folha de S. Paulo, na última terça-feira (11/04), no Museu da Imagem e do Som (MIS), Caio Magri, diretor presidente do Instituto Ethos falou sobre integridade e transparência nos negócios em uma mesa de debates que contou com a participação do advogado Modesto Carvalhosa e com o professor de economia da FGV, Marcos Fernandes Gonçalves da Silva, mediada pelo repórter especial da Folha Julio Wiziack.

“Quanto a terceirização, a política de contratação de terceiros e o processo para que ocorra deverá estar de acordo com o código de conduta da empresa. No que se refere ao tipo de contratação, será preciso avaliar os riscos e entender que não há um modelo único. Cada tipo de contratação e empresa deve ser avaliada individualmente”, destacou o presidente do Ethos em sua explanação a respeito da terceirização.

O desafio em regular os acordos de leniência, a necessidade que as empresas têm de ferramentas para avaliar os processos de combate à corrupção e a identificação do beneficiário final das companhias também foram pontos observados por Caio.

Quando questionado sobre o investimento para a implantação de um sistema de compliance Magri foi categórico: “temos que desmistificar a ideia de que é preciso um grande investimento. Em 2016, pela primeira vez uma empresa pequena foi reconhecida com o selo Pró-Ética. Se houver governança na empresa, não se faz necessário um investimento de alto valor monetário”.

Por Rejane Romano, do Instituto Ethos

ESTUDO DO SISTEMA DE INTEGRIDADE NACIONAL, JÁ DISPONÍVEL Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 maiores empresas do Brasil e suas ações afirmativas

CONTATO

© 2016 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.