ETHOS SOCIAL

Shell investe em ambiente de trabalho inclusivo


15/02/2017

Compartilhar

Empresa, apoiadora do Instituto Ethos, destaca ganhos com a criação de Rede LGBT

O Grupo Shell tem se destacado pelo investimento em diversidade e inclusão de LGBT’s. Países como África do Sul, Alemanha, Canadá, Estados Unidos e Holanda, entre outros, contam redes de apoio à comunidade LGBT. No Brasil iniciativas neste sentido tiveram início no dia 11 de outubro, quando é celebrado o International Coming Out Day (movimento iniciado nos Estados Unidos, em 1988, contra a discriminação a lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros). O objetivo da rede é dar suporte aos funcionários LGBT, além de criar uma agenda para falar sobre a orientação sexual e temas correlatos.

Parceira institucional do Ethos e patrocinadora da nova geração dos Indicadores Ethos, a Shell também já fez uso da ferramenta de autogestão e, com mais esta decisão estratégica de atuação em responsabilidade social, demonstra o engajamento da empresa em atuar em uma agenda que cada vez mais requer esforços.

Glauco Paiva, gerente executivo de Relações Externas da Shell Brasil falou ao site Ethos sobre os ganhos obtidos pela empresa por promover diversidade e inclusão com a rede de apoio à comunidade LGBT.

Ethos: O que motivou a Shell a imprimir esforços numa iniciativa inclusiva para o público LGBT?
Glauco Paiva: O Grupo Shell tem um compromisso global com a temática de diversidade e inclusão. Apoiamos e enxergamos com bons olhos todo programa que contribua para a promoção de um ambiente diverso de trabalho. Acreditamos que a variedade de ideias, culturas e pessoas é importantíssima para tornar a nossa companhia mais eficiente e integrada – e, portanto, é saudável para o negócio. No caso da rede LGBT, possuímos dados que comprovam que um ambiente de aceitação oferece até 70% mais de chances de retenção de talentos. Simplesmente não podemos aceitar que um colega não se sinta confortável com a sua própria orientação sexual no seu ambiente de trabalho. Entendemos que as empresas possuem um papel importante nesta discussão e que podemos contribuir para uma sociedade em que indivíduos possam se desenvolver plenamente, independente de sua orientação sexual. Por isso priorizamos o assunto, ressaltando que um dos valores centrais da Shell é o respeito pelas pessoas.

Ethos: Desde o lançamento, em 11 de outubro, há como fazer um balanço quanto a aceitação e integração com os demais funcionários?
Glauco Paiva: Durante o International Coming Out Day da Shell, em 11 de outubro, realizamos a ativação formal da rede com três apresentações sobre o tema em diferentes unidades da companhia: nos escritórios da Barra e do Centro e na planta de lubrificantes, na Ilha do Governador. No total, mais de 100 funcionários participaram das sessões nas três localidades e cerca de 20 se inscreveram para fazer parte da rede como voluntários. Muitas pessoas demonstram seu apoio com os adesivos que estampam a logo da Shell com as cores da bandeira LGBT, além do porta-crachá que segue o mesmo padrão.

Ethos: Especialistas dão conta que o ambiente de trabalho diverso promove ganhos, inclusive financeiros, aos negócios. Este é um dado que já pode ser observado na Shell?
Glauco Paiva: Desde 1997, a Shell trabalha com políticas afirmativas para promover um ambiente mais diverso e inclusivo, dentro e fora do Brasil. Posso dizer, sem sombra de dúvidas, que a multiplicidade é peça fundamental do nosso sucesso em todos os aspectos, inclusive financeiro. Políticas de inclusão de pessoas com deficiência, programas de fomento ao empoderamento de profissionais do sexo feminino e discussões para a promoção de um ambiente com múltiplas culturas e origens é parte do nosso DNA, e acreditamos no princípio da diversidade e inclusão para o alcance de metas específicas. Assim como estas, a rede LGBT é mais uma forma de atingirmos a eficiência na Shell. Pesquisas afirmam que um ambiente com diversidade contribui para aumentar a produtividade dos colaboradores em até 30%. É nisso que acreditamos, e é neste sentido que trabalhamos.

Ethos: Quais as expectativas da empresa em longo prazo?
Glauco Paiva: A expectativa da Shell é implementar políticas que garantam oportunidades para todos de maneira igualitária, prezando pela meritocracia e pela performance, independente de questões relacionadas à orientação sexual, gênero e suas expressões. Dentro do plano de trabalho de 2017 prevemos algumas ações focadas na educação e na visibilidade da população LGBT, trazendo ao debate a questão da competitividade sob uma ótica corporativa. Temos o intuito também de celebrar a diversidade em datas-chave, essenciais para capturar mais integrantes para a rede. A posição que adotamos é um diferencial competitivo no que diz respeito à retenção de talentos e atração de jovens que levam esse valor como essencial na hora de escolher para qual organização pretendem trabalhar.

Por Rejane Romano, do Instituto Ethos

ESTUDO DO SISTEMA DE INTEGRIDADE NACIONAL, JÁ DISPONÍVEL Perfil Social, Racial e de Gênero das 500 maiores empresas do Brasil e suas ações afirmativas

© 2016 Instituto Ethos - Todos os direitos reservados.